terça-feira, 29 de setembro de 2015

Musculação e Ballet


             

Oi Gente!

Parece que não há atleta ou bailarino, hoje em dia, que não esteja propenso a entrar num programa de treinamento de musculação.


Aqueles equipamentos monstruosos que parecem ser a chave do sucesso para aquele bailarino franzino ou para aquela bailarina frágil e preguiçosa precisando “modelar” seu corpo. E seu mestre exigindo de você uma força, uma velocidade e uma resistência muscular para determinado movimento que apesar de seus extenuantes esforços, absolutamente, não os tem.

Como se inicia um programa de musculação para quem nunca imaginou que acrescentar sobrecarga ao seu rítmo diário de treinamento trouxesse grandes benefícios? Esta é a questão! Como, quando, para quê e onde fazer musculação?

Antes de verificarmos a estruturação de um treinamento de musculação é necessário observarmos os objetivos do que pretendemos, para saber de que maneira o conduziremos e atingi-los. Desta forma, veremos quais as finalidades que podem ser alcançadas através de um treinamento de cargas.

Para o bailarino, temos verificado, ultimamente, que a modelagem física se constitui num forte motivo para se acreditar que seu desempenho seja melhorado, além, evidentemente, do aspecto estético. A finalidade seria o desenvolvimento harmônico do corpo, com simetria e proporções musculares, onde a carga deve ser acrescida de acordo com uma avaliação efetuada previamente adequando-a ao biótipo, que varia de pessoa para pessoa. O desenvolvimento muscular é a principal preocupação de um programa de musculação e para isso compete a avaliação médica tomar as medidas biométricas, efetuar o exame postural, e indicar a adequação de cargas que seu corpo suporta, para orientar seu treinador. A partir deste diagnóstico inicial seu professor de Educação Física, que é a pessoa habilitada para confeccionar sua ficha de exercícios de treinamento, dará continuidade ao atendimento. É muito importante que você escolha um profissional capacitado para orientá-lo e se responsabilizar por você. Não confie na fórmula de seus colegas, pois o que serve para ele pode não ser adequado para você.

Organizando seu programa de treinamento
Teremos de levar em conta que, além dos dados constantes na avaliação, alguns outros fatores generalizados serão levados em conta, tais como:
- Horário e tempo de treinamento: escolha da hora que você estará disponível, para que o programa possa ter continuidade.
- Material: aparelhagem à disposição, devidamente regulada e em boas condições de uso, em local adequado, tais como: equipamentos de grande porte, bicicleta e esteira ergométrica, uma estação para exercícios de força, além de tornozeleiras, munhequeiras, bastões, com anilhas de pesos reguláveis para 1,2,3,4 kg.
- Idade: no trabalho de força deve ser considerada, por se tratar de um assunto delicado, quando se refere a crianças e adolescentes. Não se recomenda a utilização de programas específicos de musculação antes da puberdade, onde as articulações ainda estão em formação, no seu estirão de crescimento, podendo comprometê-lo. Aconselha-se sua iniciação após os 14 anos de idade. Autores e profissionais deste segmento afirmam que a melhor idade para bons resultados com grandes desenvolvimentos de força é entre 20 e 30 anos e que jovens e indivíduos de idade mais avançada tem progressos mais lentos para a obtenção de seus resultados.
- Sexo: no homem o tecido muscular é mais desenvolvido que o da mulher devido a ação do hormônio masculino, a testosterona, enquanto que a maior quantidade de tecido adiposo (“gordurinhas ou pneuzinhos”) entre os feixes de fibras musculares proporciona uma diminuição de rendimento.
- Condições físicas: deve-se verificar quais as condições físicas em que você se encontra através de uma avaliação física do seu desenvolvimento muscular, através de testes de força, potência e resistência que só um profissional capacitado poderá efetuar. Por isso, antes de iniciar um programa de treinamento de força através de exercícios de musculação, peça orientação primeiramente, para o seu médico e depois para adequá-lo ao seu corpo, procure um professor de Educação Física capacitado.
- Número de exercícios por sessão: serão realizados um mínimo de 8 e um máximo de 15 exercícios.
- Ordem Anatômica: é a ordem em que os exercícios deverão ser realizados em uma sessão de treinamento. Não existe uma ordem certa, que pode variar conforme a necessidade do aluno e o objetivo do treinamento.
 
Instagram: moda_ballet
Facebook: facebook.com.br/modaballet.com.br
Loja física: Rua Barão Duprat, 250 – Galeria 13 – Santo Amaro – São Paulo
Fone: (11) 3530-3024


Nenhum comentário:

Postar um comentário