quarta-feira, 15 de março de 2017

Escoliose

Oi Gente!

Você está fazendo um checkup com o seu médico, e ele pede para você sentar com as pernas esticadas e pede para tocar os dedos dos pés. Quando você se endireita, ele diz que há uma curva na sua coluna - ele acha que você tem escoliose.

Mas não entre em pânico! Ter uma curva na espinha ou mesmo desgaste,  não é uma razão para parar de dançar. Exemplo disso: a ex-diretora do Ballet da cidade de Nova York, Wendy Whelan, cuja escoliose não a impediu de ter uma carreira extraordinária. Dance Spirit falou com os profissionais de saúde e dançarinos para descobrir o que "curvy girls" precisam fazer para permanecer saudável e continuar a dançar.

O que é escoliose?
"A escoliose é uma curvatura anormal da coluna vertebral", diz Kendall Alway, DPT (fisioterapeuta e diretor associado da ODC Healthy Dancers 'Clinic em San Francisco, CA). "Normalmente, a coluna vertebral, as costelas e a pélvis aparecem na maior parte niveladas e equilibradas, mas com escoliose, um dançarino pode ter um ombro caído e aparência ligeiramente caída para um determinado lado." Existem graus variados de escoliose, nos casos extremos podem causar a sua coluna vertebral um curva com formato de  "S".
.scoliosis

Tocar seus dedos dos pés é a melhor maneira para que um médico especialista possa diagnosticar a escoliose. Se você tiver curvas muito visíveis, o médico provavelmente vai pedir um raio-X para determinar a gravidade.

Pode ser assustador ser informado de que há algo de errado com sua coluna - é literalmente a espinha dorsal de sua dança! Mas escoliose é realmente muito comum em dançarinos. "Cerca de um em cada quatro ou cinco dançarinos tem  escoliose", diz Alway. Pode piorar durante o crescimento, que normalmente ocorrem entre as idades de 12 e 16, por isso é importante tentar diagnosticá-lo  cedo.

Como isso afeta os dançarinos?
A escoliose leve não deve impedir sua dança. Mas curvas maiores podem ter um impacto maior em seu corpo: Um lado pode ser significativamente mais flexível e/ou mais forte do que o outro. Seus ombros ou quadris podem ser desiguais, também.

Dançarinos com escoliose também estão potencialmente trabalhando com o alinhamento em suas articulações por causa da torção em suas espinhas. Um estudo de 2012 descobriu que os dançarinos com escoliose tinham uma incidência maior de lesão do pé, joelho, quadril e coluna vertebral. "As articulações torcidas tornam-se rígidas", diz Alway, "assim o movimento é passado para articulações mais móveis, colocando tensão extra sobre eles."

Qual o tratamento?
De acordo com Alway, o tratamento para a escoliose pode envolver muitos tipos diferentes de terapia. "Fisioterapia, mobilização articular, exercícios de respiração e massagem irão ajudar", diz ela. "A acupuntura pode ser usada para controlar o desconforto e Pilates pode ajudar a manter mudanças saudáveis para o seu corpo." Alway salienta que o fortalecimento e alongamento dos músculos ao redor da coluna vertebral é essencial para o tratamento, e pode até ajudar a diminuir curvas.

Sim, você pode ter que usar uma cinta.  "Se desgastado como prescrito, é geralmente 90 por cento eficaz em reduzir ou parar curvas e impedir a necessidade para a cirurgia."

Tente encontrar um fisioterapeuta que entenda que maximizar e manter a sua amplitude de movimento é essencial como um dançarino. "Trabalhe para fortalecer seu lado fraco", diz Alway. "É importante tentar não" ceder "às suas curvas."

Como você pode lidar?
Marjorie Thompson, diretora do programa de condicionamento da Pacific Northwest Ballet School, defende  a divulgação de como cuidar da saúde entre dançarinos, professores, pais, médicos e pessoas relacionados a cuidados da saúde. "Encontre fisioterapeutas e médicos que entendam quais são seus objetivos de dança", ela aconselha. Dançar com escoliose é sobre tudo desenvolver a simetria dentro de seu próprio corpo. "Trata-se de encontrar o seu melhor posicionamento possível", diz Thompson.

Gigi Crouch (Photo by Lindsay Thomas, courtesy Crouch)

Escoliose 101
A escoliose é uma curvatura anormal da coluna vertebral, é medido por olhar para um raio-x para determinar o quão grave é:
• Menos de 10 graus de escoliose não é significativo.
• Mais de 30 graus de escoliose é moderada.
• Mais de 50 graus é grave.

É mais comumente visto em dançarinos, ginastas e nadadores. Geralmente aparece entre as idades de 10 e 14.

Fonte : http://www.dancespirit.com

Instagram: moda_ballet
Whatsapp ou Telegram: (11) 9.4555.8441
Tel.: (11) 3530.3024
Loja física: Rua Paulo Eiró, 156 – Centro de Ofertas – Santo Amaro – São Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário