terça-feira, 7 de março de 2017

Misturar outras atividades física com dança.


Oi Gente !

Às vezes, é preciso mais do que dançar para se tornar um melhor dançarino. Se você tem ombros tensos ou saltos fracos, adicione no seu treinamento exercícios que possam acelerar a melhora dos seus movimentos. Pedimos aos especialistas  alguns exercícios que você possa fazer por conta própria, para que possa corrigir  problemas de técnica mais comuns do que você imagina.

Balanço
Por que isso acontece: "Os dançarinos estão constantemente tentando alcançar a perfeição, mas quando não têm uma rotação natural, podem desenvolver uma inclinação anterior da pelve", diz Alicia Ferriere, DPT, na Terapia Física de Linha de Fim em Nova York Cidade. "E porque constantemente nos dizem para levantar através do peito, faz com que as costelas se expandam alongando o abdômen e criando esse balanço pouco na parte inferior das costas."
Como corrigi-lo: Adicione Pilates - que enfatiza a posição pélvica e controle - para sua rotina uma ou duas vezes por semana, e construa uma rotina de treinamento de força que se concentra no core (abdômen, glúteos e lombar), coxas internas e isquiotibiais.

Dica:
Meia ponte: Deite-se de costas com os dois pés no chão. Coloque o joelho direito em direção ao peito (ainda dobrado) e pressione para dentro do joelho com a mão esquerda para ativar o core e os músculos isquiotibiais. De lá, levantar e abaixar os quadris 10 vezes, em seguida, mude de lado. "Envolver os isquiotibiais com controle abdominal ajudará com o controle da pélvis neutra", diz Ferriere.


Braços flexíveis
Por que isso acontece: A maioria dos dançarinos passam horas condicionando suas pernas e o core, enquanto os braços muitas vezes ficam esquecidos.


Como melhorar: Adicione exercícios de peso corporal e de baixo peso específicos para o braço à sua rotina, sugere Lauren Williams, fundadora do Chisel Club e treinadora da Tone House, em Nova York: "Isso ira ajudá-lo a melhorar a força enquanto mantém seus músculos alongados e magros. "
Flexões de braço: Da prancha, abaixe seu corpo por 3 segundos,  levante estendo o braço por 1 segundo. Repita 8-12 vezes para três séries.

Avanço com bola: De pé, passo a frente e flexionando as duas penas (foto) , segurando uma bola de peso 4 ou até 10 kg - depende de você escolher o peso - na frente de seu peito com a bola em ambas as mãos. Segure e  depois impulsione para cima a bola,  mantendo os quadris. Abaixe a bola de volta ao seu peito e volte à posição inicial. Em seguida, repita na outra perna. Repita 20 vezes para três séries.

Saltos fracos
Por que isso acontece: "Movimentos explosivos são diretamente afetados pela fadiga muscular, má nutrição e baixa energia", diz Abby Bales, DPT, CSCS, na Spear Fisioterapia em Nova York. "Você não pode obter grandes saltos com músculos cansados." Adicione a falta de força do core e um desequilíbrio nos músculos na contração lenta e rápida,  e você não terá um grand jeté.
Como corrigi-lo: o trabalho com Pilates pode ajudar a preparar e a ajustar as extremidades para se movimentar. Treinamento de força com pesos mantém estabilidade articular e força básica dos músculos. Plyometrics ajuda a dar-lhe saltos mais explosivos.

Dicas :
Bosu: Fique em pé no Bosu (com o lado redondo para cima), com os pés ligeiramente separados. Agache, e salte em cima Bosu em um agachamento baixo. "Os salto são pequenos e rápidos, por isso vai desafiar o seu core e equilíbrio", diz Bales. Faça três séries de salto por 30-45 segundos.
Saltos laterais em um banco: Encontre um banco que seja aproximadamente a altura do joelho ou mais baixo. Com os pés juntos, salte de lado a lado o mais rápido possível por 15-30 segundos. Faça de três a cinco conjuntos.

Estres nos ombros
Como corrigi-lo: Yoga,  e a conexão mente-corpo tem benefícios físicos, mentais e emocionais e ajuda a aliviar o estresse. "Yoga nos ajuda a ficar presentes com o que estamos sentindo e o que está acontecendo em nossos corpos", diz Bethany Lyons, um ex-dançarino e proprietário de Lyons Den Power Yoga, em Nova York.
Integração do Ombro: Levante os ombros até os ouvidos, alongando o corpo lateral e expandindo o meio-costas enquanto você respira. Em seguida, puxe os deltóides para trás, trazendo as pontas das omoplatas para baixo nas costas. Deixe os ombros, naturalmente, resolver em vez de bloqueá-los para baixo.


Chaturanga (postura do  Cachorro  olhando para cima): Entre na posição da prancha, mova o corpo para frete levantando os ombros para a frente e pra cima. Faça uma curvatura de hiper lordose nas costas. Os braços devem estar esticado. Se seus ombros devem estar afastados das orelhas.  Tire os joelhos do chão. As únicas partes do seu corpo que estarão em contato com o chão é o peito do pé e as palmas da mão.

Falta de energia
Por que acontece: "Você não espera que um corredor de longa distância seja incrível no trajeto de 100 metros, certo? É a mesma coisa com variações intensas ", diz Ferriere. Combinações de aulas raramente são tão longas e aeróbica. O controle da respiração também pode ser um fator.

Como corrigi-lo: Pratique trechos curtos de atividade intensa, focados em qualquer variação que você se especialize. "Se o seu desempenho tem muitos saltos, pratique pequenas combinações de allégro pequeno com apenas curtas pausas entre eles", diz Ferriere. "Você também pode praticar sprints, pular corda ou bike. Você quer construir a sua resistência à atividade de alta intensidade durante a qual você pode manter o controle da respiração adequada e constante. "


Adicione isto a sua rotina:
Respirando com um balão: deitado de costas com os pés no chão, exalar em um balão, recebendo todo o ar para fora. Manter esse controle abdominal quando você inalar. Repita até que o balão esteja totalmente inflado. "Você vai sentir suas costelas descer em direção a sua pélvis, e seu abdômen se envolver", diz Ferriere.

Desequilíbrio
Por que isso acontece: As questões de equilíbrio podem ser genéticas, ou têm a ver com nutrição, fadiga ou congestão nasal temporária. Mas geralmente, ele se resume a força básica. "Você não pode alcançar o equilíbrio máximo se o centro pélvico não está devidamente conectado e você não está encontrando seu core", diz Bales. "Treine seu corpo para rapidamente envolver seu core."

Como corrigi-lo: Como criar força o seu core - e isso não significa apenas o abdômen. Trabalhe em relevé em superfícies instáveis como  Bosu, almofadas de espuma ou tábuas onduladas, o que irá forçá-lo a encontrar o seu core. Bales também recomenda uma rotina com Pilates para direcionar o core. Ela diz: "O feedback que você pode ter sobre a força e se você controla ou não os movimentos."


http://dancemagazine.com/inside-dm/magazine/technique-rx/


Instagram: moda_ballet
Whatsapp ou Telegram: (11) 9.4555.8441
Tel.: (11) 3530.3024
Loja física: Rua Paulo Eiró, 156 – Centro de Ofertas – Santo Amaro – São Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário