quarta-feira, 6 de junho de 2018

O que realmente acontece ao seu corpo quando você para de dançar

Resultado de imagem para ferias de bailarina de ballet

É o fim de uma longa temporada: seu corpo está exausto, você está drenado emocionalmente de performances consecutivas e você está sentindo vontade de ficar um tempo no sofá.

Mas assim que você começa a relaxar, as dúvidas aparecem. O que acontecerá com meu físico se eu não estiver na aula? Vou perder músculo, flexibilidade ou resistência se não estiver dançando?

Micro dano precisa de descanso para curar
Para começar, os dançarinos muitas vezes assumem que seus corpos são esculpidos durante a aula, mas os músculos realmente constroem força quando você descansa depois do treino. Durante o exercício, a frequência cardíaca aumenta, as fibras musculares se rompem e as glândulas supra-renais secretam hormônios do estresse. Isso sinaliza que o corpo via entrar em modo de reparo, curando as micro fibras musculares assim que paramos para repousar.

Muitas vezes, os bailarinos não dão tempo suficiente aos seus corpos para se recuperarem completamente - especialmente nos dias de pico de uma temporada movimentada quando o movimento é extenuante e repetitivo - e, com o tempo, a fadiga pode aumentar, o que pode causar inflamação, dano muscular e dificuldade no desempenho.

"O tempo longe do movimento que você está acostumado permite aos músculos reconstruir de forma saudável", diz Selina Shah, MD, que trabalha com dançarinos no Centro de Medicina Esportiva do Hospital Saint Francis Memorial, em Walnut Creek, Califórnia. "Ele permite que os músculos, tendões e ligamentos que estão estressados ​​tenham a chance de se recuperar de qualquer micro dano que poderia se transformar em algo pior".

O cérebro também se beneficia
Como a dança também é um trabalho mental difícil, o cérebro também se beneficia do tempo de inatividade. O exercício aumenta o fluxo sanguíneo para o cérebro, o que ajuda você a ficar mentalmente aguçado e calmo sob pressão. Mas o estresse mental constante tem um preço.

"A pesquisa sugere que os dançarinos podem experimentar "burnout mental" quando praticam todos os dias, e  não é útil para manter a sua paixão", diz Jatin P. Ambegaonkar, PhD, professor associado do Programa de Formação de Educação Atlética na George Mason University. "É por isso que a medicina esportiva sugere que os atletas treinem uma outra atividade diferente, pelo menos uma vez por semana ".

Quanto tempo você pode ficar sem perder a técnica?
É claro que interromper completamente qualquer atividade física acabará por levar a efeitos negativos em sua técnica - mas a maioria dos dançarinos profissionais podem ficar até duas semanas sem perder -la.

"Mesmo que difícil, uma parada por até 14 dias é bom", diz Ambegaonkar. "Mas depois disso, problemas devido à inatividade - uma diminuição na resistência ou habilidade técnica - começam a se instalar, então você vai querer eventualmente mudar sua mentalidade para recuperação ativa, construindo uma base para quando você voltar."


Fonte: https://www.dancemagazine.com

Whats app: (11) 9.9329.7223
Instagram:  moda_ballet
Tel.: (11) 3530.3024
Loja física: Rua Paulo Eiró, 156 – Centro de Ofertas – Santo Amaro – São Paulo

quarta-feira, 30 de maio de 2018

Como prevenir e tratar a dor do arco do pé, de acordo com podólogos



Os arcos doloridos podem ser um dos pontos de dor mais difíceis com os quais os dançarinos lidam. Esta pequena área na parte inferior dos pés pode parecer pequena, mas na verdade realiza um importante trabalho: seus arcos são o que permitem que seus pés suportem o peso de todo o seu corpo.

Toda e  qualquer dor aguda e insuportável deve ser examinada por um médico, uma dor forte depois de um longo ensaio  geralmente pode ser aliviado dando aos seus pés o cuidado extra que eles precisam. Aqui, dois podólogos avaliam o que causa a dor do arco e como você pode controlá-lo.

Por que a dor do arco acontece
A dor do arco do bailarino é comumente desencadeada pelo uso excessivo dos músculos intrínsecos do pé na sola do pé. "Fortalecer adequadamente os músculos que cercam essa área evitará a fadiga e, portanto, a dor", diz o podólogo Dr. Frank Sinkoe, de Atlanta.

Outro culpado pode ser tendinite do tendão peroneal no lado externo do pé, instigado por forçar a participação, diz Sinkoe. Esse tendão, que se liga à parte de baixo do pé, pode agravar o arco se você não estiver engajando adequadamente seus músculos nos quadris e, em vez disso, forçando-o em seus pés.

O Dr. Thomas Novella, um podólogo especializado em Danos em Manhattan, observa que os bezerros fracos podem ficar fatigados no início da aula, fazendo com que os músculos dos dedos dos pés atinjam a folga. Quando isso acontece, você provavelmente sentirá o efeito posterior em seus arcos.

Como você pode evitar
Para evitar a dor do arco, verifique se os músculos ao redor são fortes e estáveis. Sinkoe recomenda exercícios de fortalecimento de pé intrínsecos como relevés em sapatilhas sem ponta, e flexionando e apontando os dedos usando a resistência de um Thera-Band. Ele também sugere praticar exercícios que visam os rotadores de quadril externos, para ajudar a fortalecê-los o suficiente para se envolver corretamente quando você sair.



A Novella recomenda o exercício de domo dos pés para manter os dedos dos pés fortes. "É um exercício difícil de dominar, mas que acredito ser necessário para todos os dançarinos", diz ele. Você também pode experimentar relevés descalços de uma perna em um meio rolo de espuma (com a parte plana no chão) para fortalecer suas panturrilhas.





O alongamento estático adequado e a liberação auto-miofascial também podem fazer maravilhas pela dor. Sinkoe ​​aconselha a usar um rolo de espuma nos músculos panturrilha e panturrilha durante 30 segundos. Sempre que sentir um ponto de gatilho, segure o rolo de espuma naquele ponto por mais 30 segundos. Então, ao lado de uma parede, coloque o pé contra ele, com os dedos apontando para cima, por 30 segundos de cada lado. Se você quiser esticar a panturrilha externa, faça isso com os dedos apontando para cima e para dentro por 30 segundos. "Mas não se esqueça de esticar demais", diz Sinkoe. "Normalmente, uma repetição de cada lado é tudo o que é necessário." O alongamento excessivo dos bezerros pode danificar o Aquiles, adverte Novella.

A melhor maneira de tratá-lo
Então, o que você pode fazer se você já está sentindo dor no arco?

Não force a dor - dê ao seu corpo o descanso de que precisa. Enquanto dança, preste muita atenção ao seu pé e certifique-se de que você está girando apenas o máximo que seus quadris permitem. E trabalhe no fortalecimento dos músculos circundantes para que seus arcos não tenham que compensar em excesso.

Usar calçado adequado fora do estúdio também pode fazer uma grande diferença. "Um tênis de corrida com uma sola externa de suporte, mas flexibilidade na sola do pé, é ideal para alguém que está sentindo dor", diz Sinkoe. Dr. Novella acrescenta que os dançarinos também devem procurar apoio extra, como laços, e uma área de calcanhar firme e equipada. Ele avisa que calçados completamente baixos geralmente causam desconforto no arco. "Mas não há sapato melhor do que aquele em que você está sem dor", diz ele, então descubra o que funciona para você.

O Dr. Novella geralmente aconselha os dançarinos a esfregar uma bola de massagem de tênis, lacrosse ou espinhosa na parte inferior do pé por um minuto, uma ou duas vezes por dia. "Isso causa alguma inflamação na área que traz emendar o tecido cicatricial", diz ele. Você também pode aplicar um gel antiinflamatório tópico na área, desde que seja usado com muita parcimônia.

Acima de tudo, lembre-se de que os arcos dos seus pés são uma área sensível com muito peso, por isso devem ser sempre tratados com cuidado.

Fonte: https://www.dancemagazine.com




Whats app: (11) 9.9329.7223
Instagram:  moda_ballet
Tel.: (11) 3530.3024
Loja física: Rua Paulo Eiró, 156 – Centro de Ofertas – Santo Amaro – São Paulo

segunda-feira, 21 de maio de 2018

A relação entre a ginástica rítmica e ballet

                                                                   Sapatilha de GR

A ginástica rítmica tem ganhado cada vez mais espaço como opção de atividade física. Nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, as ginastas russas encantaram o mundo inteiro com as suas apresentações.
Embora seja um esporte de muita técnica, a ginástica rítmica também possui um lado artístico, caracterizado pela graciosidade e leveza dos movimentos. A origem desse lado se dá pela inter-relação com outra manifestação artística: o ballet.
A relação do ballet com a ginástica rítmica existe desde a criação do esporte e tem se intensificado cada vez mais. Hoje, os primeiros passos para as ginastas desta modalidade passam pelo ballet.
A dança ajuda a ginasta a desenvolver o seu corpo na postura e nas posições corretas, principalmente nos membros que são a base para os movimentos da ginástica rítmica. Mas até onde vai a influência do ballet?  Aqui tem alguns tópicos para mostrar onde há a relação entre o esporte e a dança. Confira!

Desenvolvimento de técnica e movimentos

O ballet é fundamental para o desenvolvimento técnico, tático e físico da ginasta. Não é à toa que a dança é um dos primeiros passos para quem quer seguir na ginástica. Além de trabalhar a flexibilidade das ginastas, as técnicas do ballet são a base da modalidade rítmica.
Muitos dos movimentos do esporte são semelhantes ou até mesmo idênticos aos da dança. Com a prática do ballet, a ginasta terá maior facilidade para aprender e executar os movimentos que são base para a ginástica rítmica e outros movimentos mais complexos.
O ballet também é essencial para garantir a graciosidade da ginástica rítmica. Embora muitos movimentos exijam maior esforço das atletas pela sua complexidade, a ginasta deve realizá-los de forma leve e sutil, sem demonstrar este esforço.

Expressão corporal

Não é só de técnica que é feita a ginástica rítmica. Como dissemos, o ballet está presente no lado artístico dessa modalidade. A dança possui três elementos inter-relacionados: técnica, música e atuação.
Uma apresentação de ginástica rítmica consiste na execução de movimentos técnicos em harmonia com o ritmo de uma música. Nesse cenário, a beleza do esporte está no expressionismo da ginasta, por meio da dança e dos passos do ballet enquanto executa os movimentos técnicos.
Portanto, a expressão corporal e facial é de extrema importância, pois assim o lado artístico da ginástica rítmica é evidenciado.

Respiração

Outro elemento que demonstra a relação entre o ballet e a ginástica rítmica é a respiração. Embora muitas vezes não seja notada pelos espectadores, a respiração correta é um dos elementos mais importantes para uma rotina de dança ou de ginástica.
A forma ideal de respiração na prática esportiva é a respiração diafragmática, pois possibilita maior oxigenação no cérebro. Tanto no ballet quanto na ginástica, é importante dominar a respiração desta forma, para que ela seja natural e não interfira na concentração.
Em ambos os casos, prender a respiração é algo proibido, pois além de aumentar a tensão, a falta de oxigênio reduz a flexibilidade e a leveza na execução dos movimentos. A respiração é um excelente exercício para o sistema cardiovascular e respiratório. Porém, os benefícios destas duas atividades não param por aí.
Para a realização de todos os movimentos corretamente, a prática da dança e do esporte trabalha todo o corpo, desde os músculos de membros superiores aos membros inferiores, garantindo uma melhor postura, flexibilidade e equilíbrio corporal. Além da sensação de rejuvenescimento, os benefícios do ballet e da ginástica rítmica podem ser sentidos para o resto da vida, prevenindo doenças como a cardiopatia e proporcionando um melhor condicionamento físico.

Fonte: http://www.paixaopeladanca.com.br

Whats app: (11) 9.9329.7223
Instagram:  moda_ballet
Facebook: facebook.com.br/modaballet.com.br

Tel.: (11) 3530.3024
Loja física: Rua Paulo Eiró, 156 – Centro de Ofertas – Santo Amaro – São Paulo

segunda-feira, 23 de abril de 2018

Euritmia: poesia em movimento


Resultado de imagem para euritmia infantil

Equilíbrio e agilidade são alguns dos benefícios dessa forma  de arte capaz de transformar a  palavra  em dança e criar belas coreografias. E isso além de ser uma verdadeira terapia.

Ganhar saúde, bem-estar e, ainda, aprender a transmitir, por meio de movimentos corporais, toda uma gama de sensações presentes na música e na poesia. Essas são algumas das vantagens de quem começa a praticar a euritmia, uma forma de arte em que criatividade e sensibilidade caminham juntas com o equilíbrio do corpo físico.

Intimamente ligada ao som e ao tom, a euritmia foi criada em 1912 pelo austríaco Rudolf Steiner, pai da antroposofia.  Do grego “conhecimento do ser humano”, a antroposofia é uma corrente de pensamento que propõe um modo de vida mais espiritualizado, criativo e natural para tornar nossa convivência com o universo que nos cerca mais harmoniosa. A filosofia antroposófica abrange os mais diversos campos, passando pela medicina, pedagogia e até arquitetura. Não poderia, portanto, deixar de dar importância para as artes.


Steiner acreditava que a manifestação artística é a mais elevada realização que o espírito humano pode almejar, porque está intrinsecamente relacionada com nossa criatividade. Criou, então, uma forma de arte que apresentava uma particularidade: a capacidade de dançar a palavra. “Ele foi desenvolvendo gestos para cada fonema da língua, descobrindo a relação dos movimentos corporais com a palavra falada”, explica a professora de euritmia pedagógica, Marília Barreto.
Dançar um poema ou um fonema parece estranho em um primeiro momento, mas logo faz sentido. Tente imaginar a forma da letra B, por exemplo. Repita e atente para o movimento da língua, da boca. Agora pense a que formato ela corresponde. Muito provavelmente você pensou em uma forma arredondada. “O B é envolvente, é como se fosse uma capa, o manto de uma madona”, explica a professora.


Resultado de imagem para shoes euritmia

Fonte: http://www.triada.com.br

Whats app: (11) 9.9329.7223
Instagram: moda_ballet
Facebook: facebook.com.br/modaballet.com.br
Tel.: (11) 3530.3024
Loja física: Rua Paulo Eiró, 156 – Centro de Ofertas – Santo Amaro – São Paulo



terça-feira, 13 de março de 2018

Ballet faz você emagrecer?


Calories Burned in Ballet Class

O corpo do dançarino  é leve e magro, e isso é devido ao treino que o bailarino recebe ao fazer uma aula de dança. O balé pode parecer  gracioso em todas as suas poses, com as posições das mãos, mas o balé é uma dança que ativa todas as partes do corpo, assim proporcionando uma grande queima de calorias.

Piruetas também queimam calorias?
Enquanto você fica na barra na posição plié e tendu e depois faz uma série de piruetas e arabescos - você está queimando muitas calorias. Uma pessoa de 130 quilos queima por volta de  525 calorias em uma aula de 90 minutos - duração de uma aula de balé - enquanto uma pessoa de 68 kg queima 600 calorias na mesma aula. O balé é um treino para o corpo inteiro e com  eficacia na criação de músculos longos e magros, além de ajudá-lo a melhorar o equilíbrio e a postura.

O Ballet para iniciante faz com que você perca peso?
Aulas de dança para iniciantes como o ballet,  ensinam habilidades físicas e podem apresentá-lo a uma nova atividade. Se você estiver empenhado em perder peso,  a queima de calorias é relativa pelo tempo que é exigido. Uma aula de balé vai fazer você perder peso, porém é necessário outras atividades fora da aula que vão ajudar nesse processo .

Ballet para iniciantes 
As aulas de ballet  para iniciantes não fazem o aluno deslizar pelo chão na  ponta ou fazer vários saltos  no ar. Em vez disso, essas aulas ensinam aos alunos as posições básicas, trabalham em ritmos de balé clássicos e desenvolvem força e flexibilidade através de exercícios na barra e a prática da postura. Uma aula típica para crianças dura 30 minutos. As aulas de adultos podem durar uma hora ou mais.

Queima de calorias
O site de saúde HealthStatus.com fornece estimativas da queima de calorias para uma variedade exercícios. O HealthStatus inclui uma introdução para a dança, o ballet. 
O ballet para iniciante é menos rigoroso do que essa introdução sugerida. O ritmo é lento e o foco é na postura e aptidão.  A  aula  de ballet para iniciante faz parecer mais a uma aula de ioga do que o ballet regular. Uma menina de  49 kg terá uma  queima calórica de cerca de 140 calorias em 30 minutos nesse tipo de atividade. Com essa taxa, levaria um mês de aulas diárias para queimar 3.500 calorias.

Dieta
As calorias extras que você queima em uma aula de ballet para iniciantes farão com que seu corpo anseie calorias extras para compensar a energia extra que você gastou.  Por esse motivo,quando você começa a fazer ballet - ou qualquer outro exercícios para perda de peso - funciona melhor quando comparado com uma dieta com baixas calorias.

Bottom Line
O ballet para iniciante pode ajudar a contribuir para o desequilíbrio calórico que causa perda de peso. No entanto, para melhores resultados e combiná-lo com outras atividades que também colaborem com a perda de peso, como por exemplo  uma dieta com baixas calorias e exercícios de apoio. As aulas de ballet para iniciantes não irão fazer você perder peso por si só, mas certamente ajudarão no resultado de um programa de perda de peso.

Fonte: https://www.livestrong.com


Whats app: (11) 9.9329.7223
Instagram: moda_ballet
Facebook: facebook.com.br/modaballet.com.br
Tel.: (11) 3530.3024
Loja física: Rua Paulo Eiró, 156 – Centro de Ofertas – Santo Amaro – São Paulo


sexta-feira, 2 de março de 2018

Como os equipamentos de Pilates podem ajudar os dançarinos

Resultado de imagem para ballerina pilates

No Pilates existem 12 maneiras que podem  ajudar os dançarinos a melhorar o desempenho para as apresentações  e a longevidade da carreira.

1. Exercícios de footwork no aparelho de pilates Reformer equilibra, fortalece e massageia os músculos de seus pés e articulação do tornozelo. Isso irá preservar seus pés para uma carreira de dança mais longa e também diminuindo o desgaste.

2. Uma dica para bailarinas é trabalhar paralelamente nos exercícios de footwork do Pilates, mas também fazer aulas de jazz ou sapateado como uma alternativa,  entre as aulas de ballet.

3.No  Pilates,  também se trabalha  seus arcos e saltos, o que fará reverter o impacto nas bolas e pontas dos pés.

4. O equipamento de Pilates usa como resistência uma mola, que ajuda a construir e alongar os músculos de todo o corpo.

5. O Pilates é um exercício mental completo. O equipamento obriga a você ser mais consciente,  ao ter que mover o equipamento como se estivesse fazendo uma dança; empurrando e puxando contra ele o seu core. Quanto mais consciência corporal,  melhor dançarino você se torna.

6. O Pilates é o momento  de recuperação das suas pernas e pés dos impactos dos saltos! O Pilates fortalece os músculos do core mais profundamente, como o assoalho pélvico.
O impacto da dança e dos saltos em diferentes tipos de pisos atingem as costas e pescoço, que tipicamente comprime a coluna vertebral, com a prática do Pilates seus pés se tornaram mais leves.

7. Os exercícios de Pilates ajudam a curar seu corpo elevando as pernas. Isso aumenta a circulação para o coração, tornando as pernas mais claras e ajuda a curar-se mais rápido de uma lesão.

8. Pilates corrige quaisquer desequilíbrios por falta de força ou padrões de compensação defeituosos que possam causar uma lesão. Os dançarinos são forçados a posições desafiadoras com seus corpos. Pilates garante que o dançarino recrute os músculos corretos para executar e manter seu alinhamento o melhor que puder.

9. Pilates é de baixo impacto versus  a dança  de grande impacto, dependendo da técnica de cada dançarino. Os círculos de perna nas tiras dos pés são perfeitos para um dançarino treinar seus quadris. Eles podem treinar para girar seus quadris em vez de compensar nos joelhos. Além disso, a parte inferior da parte traseira o amará por isso, tornando-se mais flexível e podendo esticar os isquiotibiais apertados!

10. Pilates faz você se sentir como se tivesse apenas em uma massagem de cabeça para baixo e de elevação de todo corpo!

11. Pilates melhora a postura, fazendo com que pareça confiante, cheio de energia e maior do que a vida no palco!

12. Pilates mantém você fora da fisioterapia e do consultório do médico, o que deixa mais tempo para fazer o que você ama, dançar! Considere Pilates sua lição de casa necessária!

Fonte: https://spotlight.capezio.com

Whats app: (11) 9.9329.7223
Instagram: moda_ballet

Tel.: (11) 3530.3024
Loja física: Rua Paulo Eiró, 156 – Centro de Ofertas – Santo Amaro – São Paulo


terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Quando a criança precisa de novas sapatilhas de ballet

À medida que os pré-adolescentes e os adolescentes atingem fase de crescimento, seus pés podem crescer a metade ou todo o tamanho dentro de um ano letivo. E para os dançarinos que fazem aula várias vezes por semana, a mudança será sentida rapidamente.

Uma dica é perguntar para seu filha ou filho se a sapatilha está confortável. Outra questão que não relacionado ao crescimento é o nível de técnica de um aluno. À medida que os dançarinos avançam nas aulas da escola, eles recebem cada vez mais execuções de técnicas mais difíceis. Quando isso acontece, seus sapatos de balé também devem dar um passo para cima, a partir de elásticos únicos no topo do pé (como no Daisy, Lily e Love Ballet) para elasticidades cruzadas (como na Julieta, Cobra e Hanami) para segurar o pé para saltos altos e turnos rápidos

Estudantes que fazem  várias aulas podem achar que seus sapatos estão desgastados ou estragados, mas se sua pequena estrela quer sapatos perfeitamente limpos, deixe ela ou ele saber: mesmo sujo ainda serve!

E se os pisos do estúdio tem muito tráfego, isso pode ser uma razão para investir em sapatilhas de ballet de couro.

"O couro é mais fácil de limpar do que a lona", disse Yolanda Walmsley, que recomenda ter um par de back-up para performances, de modo que as sapatilhas limpas sejam usadas ​​com o figurino da apresentação. 

A escolha de couro ou lona será uma escolha pessoal que os dançarinos fazem com base em suas preferências de ajuste e custo.

Você pode comprar uma sapatilha pouco maior, porém evite comprar uma sapatilha muito grande e esperar que seu filha ou filho cresça rápido.

"Você não quer fique a sapatilha fique muito grande, pois isso pode ser perigoso. Um dançarino poderia tropeçar ", disse Orekomaiya. "As sapatilhas não podem ser muito larga, pois pode ocorrer lesões, então,  e necessário fazer um  bom ajuste".


Antes da aula é importante ter certeza de que os sapatilhas do sua filha ou filho tenham feito os ajustes nos cordões/elástico para terem a tensão certa. Estas cordas/elástico finos irão puxar um tecido extra. Se houver excesso demais, eles podem ser amarrados em pequenos arcos e cortados com um simples corte de tesouras.

Mas não corte demais - e nunca remova os cordões. Sem eles, a sapatilha ficará muito solta e provavelment inutilizável. No calçado clássico da Capezio, os cordões de Daisey foram aderidos para que não possam ser puxados para fora. Além disso, os designers de Capezio também eliminaram os cordões em alguns modelos de sapatos de balé. O que foi em resposta ao feedback dos clientes, disse Orekomaiya: "As crianças estavam puxando os cordões para fora".

E essa é uma característica fundamental das sapatilhas Love Ballet e dos novos sapatos de dança Hanami, feitos de lona extensível de quatro vias que se agarra ao pé - sem necessidade de cordões.


fonte: https://spotlight.capezio.com

Whats app: (11) 9.9329.7223
Instagram: moda_ballet
Tel.: (11) 3530.3024
Loja física: Rua Paulo Eiró, 156 – Centro de Ofertas – Santo Amaro – São Paulo